AQUELE QUE VIVE DE SONHOS

AQUELE QUE VIVE DE SONHOS, É FELIZ E HONRADO!
Nossa cidade merece sorrir!
Através deste blog você fica conhecendo minhas idéias, meu trabalho e interage comigo, contribuindo para o meu crescimento pessoal e profissional! Sinta-se à vontade para comentar!Grato!
‎"Quem não pode atacar o argumento ataca o argumentador."

Este Blog dedica-se à política na esfera municipal em qualquer parte do país. Logo, casos de corrupção em nível estadual e federal estão disponíveis apenas no meu Facebook. Raramente trato deles aqui.
Me adicione no Facebook: Aldeir Félix Honorato
Siga-me no Twitter: @AldeirFHonorato

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Como Está Sua Cidadania?

Às vezes a paciência de um povo fica além um pouco do seu limite, por não entender o porquê de tanta dificuldade em se realizar tarefas óbvias por parte daqueles ditos “capacitados” a cumprir tal responsabilidade. 

Brinca-se demais com as responsabilidades públicas
. Entretanto, paga-se um preço alto à inúmeras famílias dependentes deste “direito” vilipendiado pela cadeia promiscua da corrupção em trânsito. 

Como, então, poderemos nos reorganizar e reaprender a cuidar do que é nosso? Porque falamos tanto de um governo da maioria, se na verdade os governantes são sempre uma minoria? 

Vivemos, então, numa “democracia invertida” por pura e simplesmente falta de vontade de tentar sermos um cidadão diferente. A receita para tal transformação seria participar, participar e participar ativamente. 

Mas, vamos e convenhamos, a educação geralmente herdada junto à coletividade não imprime em nosso ser este “dom da partilha”, mas realimenta a força nefasta do “ter” e não do “ser”, não acha?

Cadê a nossa espiritualidade vigiando nossa religiosidade ofuscada por um deus interessista em cada um de nós? Quanto mais tempo, se é que temos muito tempo assim, de reencontrar conosco não for empreendido, mas irão faltar tintas para reescrever nossa história? 

Quando iremos exercitar, desinteressadamente, o condão cristão da solidariedade alimentado e saciado pelo simples compromisso divino de sermos apenas “irmãos” e não cúmplices disto ou daquilo esculpido levianamente no ser em si?

Como, então, poderemos pensar numa cidade grande, se ainda somos tão pequenos diante dos nossos valores democráticos e de cidadania cristã? Afinal, melhorar o que!!!... se nem sequer conseguimos nos manter?

Já dizia o Provérbio Chinês “antes de querer mudar o mundo, dê duas voltas dentro da sua casa”. Pois bem, por onde começar? O começo se dá pela humildade em admitir de termos muito a melhorar... sempre.

Uma cidade só se desenvolve compartilhando com todos de seus problemas herdados ou adquiridos, bem como realinhar as vontades pessoais e políticas na reconstrução de propostas sustentáveis a um futuro a ser edificado para nossa cidade com a força integrada de sua gente.

Portanto, a conquistas de uma cidade não se resume a “um” responsável da costura deste surrado tecido social, mas são cingidos pelas mãos da coletividade que, infelizmente, aprendeu a esperar nos outros aquilo que poderiam muito bem desenvolver e a aprimorar através de suas próprias atitudes cidadãs.

Por
Dr Allan Marcio 
FONTE:

Nenhum comentário: