AQUELE QUE VIVE DE SONHOS

AQUELE QUE VIVE DE SONHOS, É FELIZ E HONRADO!
Nossa cidade merece sorrir!
Através deste blog você fica conhecendo minhas idéias, meu trabalho e interage comigo, contribuindo para o meu crescimento pessoal e profissional! Sinta-se à vontade para comentar!Grato!
‎"Quem não pode atacar o argumento ataca o argumentador."

Este Blog dedica-se à política na esfera municipal em qualquer parte do país. Logo, casos de corrupção em nível estadual e federal estão disponíveis apenas no meu Facebook. Raramente trato deles aqui.
Me adicione no Facebook: Aldeir Félix Honorato
Siga-me no Twitter: @AldeirFHonorato

terça-feira, 3 de maio de 2011

Soluções para o Transporte Público

Paraíba do Sul vive alguns problemas com o Sistema de Transporte Público semelhante ao de algumas capitais. Esta matéria do blogueiro José José Claudemir é bastante esclarecedora!


Prefeitura de Maceió lança serviço on-line destinado a receber reclamações dos usuários dos ônibus coletivos da capital.

     No site da prefeitura consta "um serviço de recebimento de reclamações e sugestões por meio do centro de informação e atendimento ao cidadão, onde os usuários de transporte coletivo da capital poderão denunciar irregularidades cometidas pelas empresas concessionárias de ônibus que prestam serviço na capital alagoana."
     O transporte coletivo em Maceió possui número insuficiente de ônibus em circulação.
     A demanda seria maior se a tarifa fosse menor. "Com uma oferta melhor de ônibus e a preços mais baixos, mais pessoas poderiam utilizar os ônibus como meio de transporte na cidade."
    Há uma licitação "que, há anos, está em processo inicial, dependendo da votação da Câmara de Vereadores. Porém, já há alguns meses, o Ministério Público Estadual tem estado atento a esta demora excessiva no processo licitatório, tendo a promotora responsável pela fiscalização do caso argumentado que a espera pela decisão da Câmara de Vereadores não é motivo para que a prefeitura demore tanto em promover as melhorias necessárias ao serviço de transporte público. Argumento corretíssimo, já que o que está em jogo é o interesse da população e a prefeitura pode muito bem  intervir junto às empresas que já possuem a concessão das linhas, com o objetivo de melhorar a oferta de ônibus para a população. Mas, só a licitação não resolverá o problema, pois a prefeitura também terá implantar projetos que promovam o melhor deslocamento dos ônibus, principalmente pelas principais avenidas, fato que já é complicado, dado o número absurdo de carros e motos que já circulam em Maceió."

    "Além disso, existe o problema do envelhecimento da frota de ônibus. É verdade que as empresas têm renovado sua frota, mas também é claro que essa renovação não acompanha a necessidade de reposição dos ônibus mais velhos. É muito comum encontrar ônibus com mais de 10 anos de fabricação circulando pela cidade, ônibus esses que estão com suas latarias muito bem pintadas, o que, para quem vê de fora, parecem até ônibus mais ou menos novos mas, quando se está dentro dele, vê-se muitos insetos, as "baratas de ônibus", como os motoristas e cobradores as chamam, além de muitos buracos na parte interna e no teto, o que se torna um problema quando chove, pois descem verdadeiras "cachoeiras" nas cabeças dos passageiros, além de alguns veículos que circulam sem os vidros das janelas, com para-brisas trincados, lanternas e luzes de freio queimadas e outros tantos problemas que dificilmente passariam despercebidos em uma vistoria feita em um carro de passeio."
     “Enfim, existem ainda outros tantos problemas, como a demora imensa entre um e outro ônibus da mesma linha, chegando, em alguns horários a ser de mais de uma hora o tempo compreendido entre a passagem de um ônibus e do ônibus seguinte pelo mesmo ponto, o oligopólio das empresas concessionárias, a falta de educação e de paciência de muitos motoristas e cobradores, que, por outro lado, também sofrem com as condições degradantes de trabalho e com o estresse resultante dessa rotina de trabalho, além da concorrência mais recente e da consequente falta de regulamentação das vans e doblôs alternativas, que têm provocado uma verdadeira situação de incerteza e insegurança jurídica para as empresas oficiais e para aqueles que tem ganhado dinheiro transportando passageiros que deveriam ser transportados pelos ônibus.

"E, no meio disso tudo, está a população, sempre a mais onerada e vitimada por esta prestação de um serviço público essencial que tem sido oferecida de forma insuficiente e insatisfatória à população."

Nenhum comentário: