AQUELE QUE VIVE DE SONHOS

AQUELE QUE VIVE DE SONHOS, É FELIZ E HONRADO!
Nossa cidade merece sorrir!
Através deste blog você fica conhecendo minhas idéias, meu trabalho e interage comigo, contribuindo para o meu crescimento pessoal e profissional! Sinta-se à vontade para comentar!Grato!
‎"Quem não pode atacar o argumento ataca o argumentador."

Este Blog dedica-se à política na esfera municipal em qualquer parte do país. Logo, casos de corrupção em nível estadual e federal estão disponíveis apenas no meu Facebook. Raramente trato deles aqui.
Me adicione no Facebook: Aldeir Félix Honorato
Siga-me no Twitter: @AldeirFHonorato

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Enquanto a “UNE” do Chile mobiliza, nossa UNE agoniza

A DIFERENÇA DO MOVIMENTO ESTUDANTIL DE 1º MUNDO PARA UM DE 3º
LÁ REALMENTE HÁ MOBILIZAÇÃO ESTUDANTIL
OS ESTUDANTES PARTICIPAM E A DISCUSSÃO NÃO É PARTIDARIZADA!

Não é novidade para ninguém a forte mobilização que está ocorrendo entre os estudantes chilenos por mais acesso à educação superior. Sem fazer juízo de valor quanto à causa chilena, já que há controvérsias quanto a eficácia quando comparado a outros países da América do Sul, o fato é suficiente para fazermos uma comparação entre o movimento estudantil no Brasil e no Chile.
A principal liderança chilena é uma estudante de Geografia de 23 anos, Camila Vallejo, que também é presidente da Federação dos Estudantes da Universidade do Chile (FECH). O atual presidente da UNE é um estudante de Ciências Sociais, Daniel Ilieuscu, 26 anos, que está na sua segunda gestão na UNE. Antes foi Diretor de Relações Internacionais da entidade.
Tenho sempre toda boa vontade do mundo com a UNE, acho que por ter feito parte ativamente do movimento estudantil, como Presidente do DA do meu curso e depois do DCE, mas para algumas coisas é simplesmente impossível fechar os olhos.
A verdade é que a União Nacional dos Estudantes virou um escritório mal acabado do PCdoB. Cada vez mais é subjugada aos interesses partidários e perdeu completamente a ligação com os estudantes. Hoje em dia a garnde maioria dos discentes não se sente representada por sua entidade, que na prática elege seu presidente através de reuniões da UJS, que é um braço partidário do PCdoB na juventude.
Óbvio que os partidos se farão representar nas entidades, apesar do falido quadro partidário brasileiro, mas os interesses da entidade devem sempre estar acima dos interesses do partido. Basta dizer que não conseguem tirar uma palavra oficial da UNE sobre corrupção, apenas porque o partido acha que isso é bandeira da oposição.
Camila em campanha. A eleição lá é personalizada, favorecendo as lideranças

É fato também que as mobilizações nas universidades hoje ocorrem muito mais de movimentos externos, como foi no Fora Collor e na grande greve dos docente de 1998, do que em bandeiras fabricadas internamente. Mas isso não justifica o sumiço da importância da UNE.
Para termos uma ideia da falência popular da entidade, basta comparar o Twitter da presidente da FECH chilena, Camila Vallejo (@camila_vallejo), com mais de 268 mil seguidores, com o do presidente da UNE, Daniel Illescu (@danieliliescu), com pouco mais de 1,5 mil. Convenhamos que para um suposto formador de opinião nacional é um número ridículo.
Perguntei a algumas pessoas da UFRJ, onde Daniel estuda, e ninguém nem ao menos sabia que o atual Presidente da UNE era de lá. Aliás, não sabiam nem o nome dele.
A pergunta que muitos se fazem é: será que apenas o fato do PCdoB ser praticamente o dono da UNE seria suficiente para sumir com a entidade?
Claro que não. O fato dela hoje estar ligada a interesses paridários e defender o Governo cegamente é fator importante na desmobilização, mas outras variáveis também são importantes.
Raramente os presidentes da UNE são grandes lideranças de massa e falam a linguagem do estudante, como foi o caso de Lindbergh Farias em 1992/1993, à época do Fora Collor. É muito mais uma coincidência do que realmente formação. A maioria nunca teve voto popular em suas universidades, disputando a sério DCE, e por motivos obvios são lideranças mancas e fabricadas.
Não é o caso da chilena Camila Vallejo. Obvio que a estudante chama a atenção de todos por ser bonita e ter uma bandeira de luta simpática, mas percebe-se claramente quando fala que sua liderança foi forjada na disputa política e não nas reuniões cartoriais de partidos. Com presença organizada nas redes sociais e boa articulação na fala, não será surpresa o crescimento político de Camila.
Sei que uma parte do movimento estudantil é contra a personalização, mas não se fabrica lideranças sem pessoas e líderes reais. Nossa característica política incentiva o personalismo, e não conseguimos fugir disso, por mais que não se concorde.
No caso da UNE, seus últimos presidentes só conseguiram aparecer no noticiário para explicar patrocínios estatais e subvenções governamentais. E culpar única e exclusivamente a mídia por isso é completa miopia, pois a UNE não consegue mais massificar bandeira alguma.
Na prática o movimento estudantil se fracionou em vários grupos de interesse, como as empresas juniores ou comissões de assuntos específicos (esportes, Casas do Estudante ou bolsistas) pois é muito mais eficaz. Os diretórios de base (DA) ainda sobrevivem porque estão mais perto do estudante, mas as entidades gerais hoje infelizmente estão acabadas.
Talvez o modelo de eleição da UNE até esteja equivocado, pois a estrutura partidária favorece ainda mais a mobilização de delegados, mas a verdade é que Movimento Estudantil só sobrevive na independência ou oposição.
Ser governista é o primeiro passo para a desmobilização, e isso é fatal para qualquer entidade.

FONTE: http://acertodecontas.blog.br/atualidades/enquanto-a-une-do-chile-mobiliza-nossa-une-agoniza/

COMENTÁRIOS:

Esse aparelhamento não só feito pela UJS, mas também por alguns segmentos de Juventude do PT, é uma das causas do peleguismo total da UNE e da UEP.
@s estudantes não se sentem representados por estas entidades, que distanciadas dos pilares de independência e autonomia fazem hoje o chamado “movimento de gabinete!”. Notadamente, tentando conseguir cargos comissionados nos órgãos do governo.
Felizmente, ainda existe alguns grupos de resistência a esse peleguismo e ingerência partidária (...)
Marcos Júnior
Infelizmente, a UNE de hoje é submissa ao governo federal devido aos repasses milionários (tais como a reconstrução da sede da UNE no Rio de Janeiro).


quinta-feira, 29 de setembro de 2011

PRE-SP requer decretação de perda de mandato de vereadora por desfiliação partidária

27/09/2011

Ana Vicentina Tonelli continuou a exercer cargo de vereadora da Câmara Municipal de Jundiaí mesmo após desfiliação partidária sem justa causa
O procurador regional eleitoral substituto André de Carvalho Ramos propôs, na última quinta-feira (22/09), ação eleitoral de perda de cargo eletivo ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), requerendo a decretação da perda de cargo eletivo da vereadora da Câmara Municipal de Jundiaí (SP), Ana Vicentina Tonelli, por ter se desfiliado do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) sem justa causa.
De acordo com ofício da Promotoria de Justiça de Jundiaí (65ª Zona Eleitoral), a desfiliação partidária de Ana Vicentina Tonelli junto ao PMDB foi oficializada no dia 16 de agosto deste ano. Indagado a respeito do fato, o presidente da Comissão Provisória do PMDB de Jundiaí alegou que sua comissão não pediu na Justiça Eleitoral a perda do mandato da vereadora por entender que houve justa causa, uma vez que a mudança de orientação política partiu do próprio partido, e não da vereadora.
Segundo o procurador regional eleitoral substituto Carvalho Ramos, houve um ajuste de vontades entre o partido e a vereadora, tendo em vista (i) a inexistência de ação declaratória de justificação de Ana Vicentina Tonelli, (ii) a inexistência de pedido do PMDB de decretação de perda de cargo eletivo por infidelidade partidária e (iii) a declaração do presidente da Comissão Provisória do PMDB de Jundiaí, que alegara haver justa causa.
O procurador afirmou que “a existência de mútuo acordo entre o partido político e o titular do mandato eletivo não configura justa causa”, dizendo ainda que não se pode admitir acordos que caracterizem o afastamento da prevalência da vontade popular. Devido a esses motivos, Carvalho Ramos requereu ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo que decrete a perda do mandato exercido pela vereadora Ana Vicentina Tonelli, com fulcro na Resolução 22.610/07 do TSE.

Ref.: Peças de Informação (PI) PRE/SP n.º 1.03.000.000688/2011-21.

Veja aqui a íntegra da ação proposta pelo procurador eleitoral Carvalho Ramos.
FONTE: http://www.presp.mpf.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=553&Itemid=41

Problema Social - Ana Carolina

EM PARAÍBA DO SUL, A FALTA DE ENSINO PROFISSIONALIZANTE E DE OCUPAÇÃO ESTÁ TORNANDO MUITOS JOVENS E CRIANÇAS UM PROBLEMA SOCIAL!

Por isso, é necessário oferecer alternativas que tirem as crianças das ruas e que ofereça oportunidades aos nossos jovens! No médio prazo devemos viabilizar o Ensino Fundamental em Tempo Integral em toda rede pública do município, melhorando ainda mais a qualidade do ensino e tirando a infância e juventude sulparaibanas das ruas!


Se eu pudesse eu dava um toque em meu destino
Não seria um peregrino nesse imenso mundo cão
E nem o bom menino que vendeu limão
E trabalhou na feira pra comprar seu pão
E nem o bom menino que vendeu limão
E trabalhou na feira pra comprar seu pão
Não aprendia as maldades que essa vida tem
Mataria a minha fome sem ter que roubar ninguém
Juro que eu não conhecia a famosa funabem
Onde foi a minha morada desde os tempos de neném
É ruim acordar de madrugada pra vender bala no trem
Se eu pudesse eu tocava em meu destino
Hoje eu seria alguém
É ruim acordar de madrugada pra vender bala no trem
Se eu pudesse eu tocava em meu destino
Hoje eu seria alguém
Seria eu um intelectual
Mas como não tive chance de ter estudado em colégio legal
Muitos me chamam pivete
Mas poucos me deram um apoio moral
Se eu pudesse eu não seria um problema social
Se eu pudesse eu dava um toque em meu destino
Não seria um peregrino nesse imenso mundo cão
E nem o bom menino que vendeu limão
E trabalhou na feira pra comprar seu pão
E nem o bom menino que vendeu limão
E trabalhou na feira pra comprar seu pão
Não aprendia as maldades que essa vida tem
Mataria a minha fome sem ter que roubar ninguém
Juro que eu não conhecia a famosa funabem
Onde foi a minha morada desde os tempos de neném
É ruim acordar de madrugada pra vender bala no trem
Se eu pudesse eu tocava em meu destino
Hoje eu seria alguém
É ruim acordar de madrugada pra vender bala no trem
Se eu pudesse eu tocava em meu destino
Hoje eu seria alguém
Seria eu um intelectual
Mas como não tive chance de ter estudado em colégio legal
Muitos me chamam pivete
Mas poucos me deram um apoio moral
Se eu pudesse eu não seria um problema social
Composição: Guará / Fernandinho


quarta-feira, 28 de setembro de 2011

PV é o segundo partido mais reconhecido pelos brasileiros


(Cristiana Lobo/Globo News Blog)
Pesquisa encomendada pelo PSDB, aponta o Partido Verde como segundo partido mais identificado pelo eleitorado brasileiro, com 59% de reconhecimento:

ACOMPANHE O CASO DA MORTE DO PREFEITO DE JANDIRA/SP

Polícia confirma morte de prefeito de Jandira

publicado em 10/12/2010 às 08h48:
Braz Paschoalin foi baleado quando estava com o motorista em rua da cidade
Da Agência Record
A Polícia Militar confirmou, às 8h40 desta sexta-feira (10), a morte do prefeito de Jandira, Braz Paschoalin (PSDB). Os doisforam baleados quando o prefeito saía do seu carro na rua Antônio Conselheiro, no bairro Mirante, na cidade da Grande São Paulo. Ele estava em frente à radio Astral, onde possui o programa Bom dia, Prefeito, apresentado todas as sextas-feiras pela manhã.
Inicialmente, a PM informou que o motorista do prefeito havia morrido. Entretanto, mais tarde, a informação não foi confirmada pela prefeitura e pelo Hospital das Clínicas. Funcionários da rádio informaram à Agência Record que Braz costumava ir até o local com um veículo blindado, o que não aconteceu nesta sexta.
A polícia trabalha com a possibilidade de um atentado. Informações iniciais são de que homens que estavam em um carro prata passaram pelo veículo do prefeito atirando e fugiram. O carro dos atiradores foi abandonado na cidade de Itapevi. 
Funcionários da rádio disseram à Agência Record que os microfones do local chegaram a captar o barulho dos disparos efetuados contra o prefeito e o motorista. O áudio será entregue à polícia.
A Polícia Militar informou ainda que Braz chegou a ser socorrido e levado ao pronto-socorro central do município, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O caso deve ser encaminhado à delegacia central do município.
Perfil
Walderi Braz Paschoalin nasceu em 27de janeiro de 1948, na cidade de Andradina. Em 5 de outubro de 2008, ele foi eleito para o seu terceiro mandato como prefeito da cidade de Jandira. A carreira política de Pascholin começou em 1976, quando ele foi eleito vereador e, pouco tempo depois, assumiu o posto de presidente da Câmara municipal.
Assista ao vídeo:
http://noticias.r7.com/videos/prefeito-de-jandira-sp-morre-vitima-de-tiros/idmedia/d5259f8d9836096bd0305ba33cc5bb8c.html



Rádio grava momento em que prefeito de Jandira é assassinado na Grande São Paulo

publicado em 10/12/2010 às 10h18:

Radialista disse que chegou a brincar, achando que eram fogos de artifício

Do R7, com Hoje em Dia
O radialista Fernando Silva, que trabalha na rádio Astral, em Jandira, na Grande São Paulo, contou que chegou a fazer uma piada ao vivo na rádio ao ouvir os disparos que mataram o prefeito Braz Paschoalin (PSDB) e seu motorista na manhã desta sexta-feira (10). A afirmação foi feita em entrevista ao programa Hoje em Dia, da Rede Record. 
Segundo Silva, o barulho foi ouvido por ele e pela equipe quando estavam dentro do estúdio apresentando um programa matutino. Ao ouvir os “estouros”, Silva brincou dizendo que a população estava soltando fogos para receber Paschoalin, que chegava ao local para o participar do programa Bom dia, prefeito.
De acordo com Silva, só quando ele se preparava para deixar o estúdio, a secretária da rádio entrou no local, “desesperada”, e disse que o prefeito e o motorista tinham sido baleados. O crime ocorreu por volta das 8h.
Ouça abaixo, no vídeo, o momento em que o prefeito de Jandira é morto:
Execução 
Paschoalin e o motorista foram baleados quando o prefeito saía do seu carro na rua Antônio Conselheiro, no bairro Mirante, na cidade da Grande São Paulo. Ele estava em frente à radio Astral, onde iria participar do programa Bom dia, prefeito, apresentado todas as sextas-feiras pela manhã.
Funcionários da rádio informaram à Agência Record que Braz costumava ir até o local com um veículo blindado, o que não aconteceu nesta sexta.
A polícia trabalha com a possibilidade de um atentado. Informações iniciais são de que homens que estavam em um carro prata passaram pelo veículo do prefeito atirando e fugiram. O carro dos atiradores foi abandonado na cidade de Itapevi.
A Polícia Militar informou ainda que Paschoalin e o motorista chegaram a ser socorridos e levados ao pronto-socorro central do município, mas não resistiram aos ferimentos e morreram. 
O caso deve ser encaminhado à delegacia central do município.



Jandira já teve suplente, dois vereadores e outro prefeito assassinados

10/12/2010 - 12h49 / Atualizada 10/12/2010 - 20h53
Do UOL Notícias 
Em São Paulo
A morte do prefeito de Jandira (Grande SP), Walderi Braz Paschoalini (PSDB), que estava no terceiro mandato, é o último dos mais recentes crimes envolvendo políticos na cidade. Ele foi morto a tiros na manhã desta sexta-feira (10).
Em 1983, o prefeito Dorvalino Abílio Teixeira (PDS), que governou a cidade de 1977 a 1983, também foi assassinado. Teixeira levou dez tiros quando chegava em casa. O caso foi registrado como latrocínio (roubo seguido de morte) --os dois principais suspeitos também foram mortos executados, pouco tempo depois. Dorvalino Abílio Teixeira era pai do atual presidente da Câmara de Vereadores de Jandira, Wesley Teixeira (PSB), que se diz chocado com o crime desta sexta-feira (10).
Em 2001, o vereador Mario Soares de Almeida foi assassinado na frente de sua família ao chegar de uma sessão da Câmara. 
Já em julho deste ano, o ex- vereador Waldomiro Moreira de Oliveira, o Mineiro, também foi assassinado. Outro que foi morto a tiros recentemente foi um primeiro suplente chamado de Ivo do Gás. A polícia afirmou que estes dois casos e a morte do prefeito Braz Paschoalini serão investigados em conjunto, para averiguar se há relação entre eles.
BRAZ PASCHOALIN
·         
Cidade "perigosa"
O líder do governo na Câmara dos Vereadores, Henrique Francisco de Alexandria (PSDB), acredita que a cidade está se tornando "perigosa" para exercer a política.
"Eu acho que só pode ter sido crime político [contra o prefeito]. Quem mais? Eu não vou responder, é a polícia, mas tenho certeza de que foi crime político encomendado", afirmou Alexandria.
Som de tiros
O crime ocorreu por volta das 8h desta sexta-feira (10) na rua Antônio Conselheiro, no Jardim Mirantes, em Jandira (Grande SP). O prefeito chegava à rádio Astral FM com o motorista e segurança, Wellington Martins, quando o veículo foi interceptado por outro. Ele gravaria o programa “Bom dia, prefeito”. Os disparos foram captados pela emissora, e puderam ser ouvidos ao vivo no momento em que o locutor Marcos Aleixo falava sobre o prefeito com o colega, Fernando Silva. “Que bagunça que é essa aí?”, questionou Aleixo. Ouça:
...
Walderi Braz Paschoalin, no PSDB, tinha 62 anos e cumpria no terceiro mandato. Ele chegou a ser atendido, mas morreu em um pronto-socorro municipal. O segurança foi encaminhado ao Hospital das Clínicas, onde passou por uma cirurgia. Ele está em estado gravíssimo.
A polícia prendeu quatro suspeitos poucos minutos após o assassinato para averiguação. Eles estavam em uma estrada de terra próxima ao local do homicídio, em um Polo. O Focus prata que interceptou o carro do prefeito foi encontrado em um barranco também na saída da cidade, sem marcas de frenagem, com os bancos molhados de gasolina e uma garrafa pet com combustível. Para a polícia, eles não tiveram tempo de incendiar o automóvel. Mais dois homens foram detidos na mesma região.
A polícia trabalha com a hipótese crime encomendado, mas diz ainda não ser possível definir a motivação. A Procuradoria Geral de Justiça designou os promotores do Júri de Jandira e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) - Núcleo São Paulo para acompanhar as investigações, que serão conduzidas pelo delegado Zacarias Katcer Padros, chefe do SHPP (Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa) de Carapicuiba (Grande São Paulo).



Terceiro mandato
Segundo informações disponíveis no site da Prefeitura de Jandira, Paschoalin estava em seu terceiro mandato como prefeito da cidade. Em 1976, foi eleito vereador, então com 28 anos. Em 1988, foi eleito prefeito pela primeira vez, administrando a cidade de 1989 a 1992. Ele reassumiu o cargo no período entre 1997 e 2000, e foi eleito novamente em 2008, tomando posse em 2009.
Durante o segundo mandato, Pascholin chegou a ser o prefeito com o maior salário do país. Em 2003, ele foi investigado por causa do sumiço de cem cheques da Prefeitura. Os cheques foram feitos em nome de várias pessoas e sacados de uma vez só. As assinaturas que endossaram os cheques eram falsificadas. A mulher do prefeito, Maria Helena, também foi investigada pelo Ministério Público por causa de despesas que o Tribuna de Contas do Estado de São Paulo considerou irregulares.
Em nota, o PSDB lamenta com "profundo pesar e indignação" a morte de Paschoalin, afirmando que ele foi "um exemplo de liderança na região", lutando "pelos avanços de Jandira ao longo de seus três mandatos à frente da prefeitura. Sua morte abrupta é uma perda inestimável para o PSDB e para o estado de São Paulo. As circunstâncias deste crime hediondo devem ser imediatamente apuradas e os culpados devidamente punidos", diz o texto.

Outros crimes
No dia 8 de julho deste ano, um ex-vereador de Jandira foi assassinado depois de uma tentativa de assalto, em casa. Waldemiro Moreira de Oliveira foi vereador da cidade entre 2005 e 2008. Quando os criminosos entraram na casa, a vítima havia acabado de sair para comprar pão. Só estavam no local a mulher do vereador e o filho do casal, de 11 meses.
No dia 20 de setembro, sete homens armados invadiram o prédio onde mora a filha do prefeito e um vereador, na Rua Henrique Sammartino, no bairro Anita Costa. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o grupo foi até à casa de um porteiro que trabalhava no edifício e rendeu ele, a esposa e um vizinho. Em seguida, foram até o prédio onde mora a filha de Paschoalin, renderam o porteiro e tentaram arrombar a porta do apartamento dela. A filha do prefeito e o marido seguraram a porta e os criminosos fugiram levando apenas a bateria do celular do porteiro rendido na portaria do edifício. Na época, a filha de Paschoalin disse à polícia que acreditava que os ladrões estavam atrás do dinheiro arrecadado em uma festa, em Jandira.



SBT Brasil

Prefeita de Jandira pode ser investigada na morte de Paschoalin

publicado em 4/3/2011 às 19:38
http://www.sbt.com.br/jornalismo/noticias/?c=3919&t=Prefeita+de+Jandira+pode+ser+investigada+na+morte+de+Pascholim
Na Grande São Paulo, a prefeita de Jandira pode ser investigada pela morte do ex-prefeito Braz Paschoalin, em dezembro do ano passado. Denúncias mostram que Anabel Sabatine ligou diversas vezes para dois dos sete acusados do assassinato.



SBT Brasil

Mais um suspeito é preso pelo assassinato do prefeito de Jandir

publicado em 7/3/2011 às 19:23
http://www.sbt.com.br/jornalismo/noticias/?c=3951&t=Mais%20um%20suspeito%20e%20preso%20pelo%20assassinato%20do%20prefeito%20de%20Jandira



Atual prefeita de Jandira será investigada pela morte de Braz Paschoalin

terça-feira, 10 de maio de 2011



O Jornal da Record teve acesso exclusivo ao inquérito de mais de oito mil páginas sobre o assassinato do prefeito de Jandira (SP) Braz Paschoalin. A atual prefeita Anabel Sabatine e seu marido estão sendo investigados pelo possível envolvimento no crime. Na investigação, há o relato de insatisfação de Anabel, então vice-prefeita, com Paschoalin, além da afirmação de uma testemunha de que a vice teria se reunido com inimigos da vítima.


Vereadores de Jandira (SP) afastam sucessora de prefeito assassinado




SP: chaveiro é acionado para vereador assumir prefeitura

14 de setembro de 2011  13h03  atualizado às 14h04

O presidente da Câmara de Vereadores de Jandira (SP), Wesley Teixeira (PSB), assumiu interinamente a prefeitura do município na manhã desta quarta-feira, um dia após a decisão dos vereadores de afastar a prefeita Anabel Sabatine (PSDB). Ao chegar ao gabinete da prefeita, por volta das 10h30, Teixeira encontrou a porta trancada, e as chaves não se encontravam no prédio da prefeitura. Dessa forma, o vereador teve que chamar um chaveiro para abrir a porta e, só então, despachar do gabinete.
Anabel assumiu o cargo em dezembro de 2010, após o assassinato do então prefeito, Braz Paschoalin. Na última terça-feira, os vereadores de Jandira decidiram, por 6 votos contra 4, afastar Anabel do cargo por 90 dias, prazo no qual a Câmara irá investigar denúncias de irregularidades na prefeitura. Entre as irregularidades está a suposta contratação de um passeio para alunos de escolas sem concorrência pública. A prefeita também teria contratado parentes e servidores que ocupam cargos de confiança e desviado verbas da Saúde e Educação para cobrir a folha de pagamento.
Em agosto, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) determinou a investigação da suposta participação de Anabel na morte do ex-prefeito Walderi Braz Paschoalin (PSDB), assassinado em 10 de dezembro de 2010. Como mandantes do crime, foram denunciados o ex-secretário de Governo Sergio Paraizo e o ex-secretário de Habitação Wanderley Lemes de Aquino.
Segundo a acusação, havia vários esquemas de corrupção na prefeitura de Jandira envolvendo desvios de dinheiro público, licitações fraudulentas, superfaturamento e nomeação de funcionários fantasmas. Os denunciados teriam tramado o assassinato do prefeito para assumir o controle das supostas atividades criminosas.



Vereadores afastam prefeita de Jandira (SP) após denúncia de morador

13/09/2011 - 19h22 / Atualizada 14/09/2011 - 22h27
Guilherme Balza 
Do UOL Notícias 
Em São Paulo
Por seis votos a quatro, a Câmara Municipal de Jandira (Grande São Paulo) decidiu nesta terça-feira (13) afastar a prefeita de Jandira, Anabel Sabatine (PSDB), após um morador apresentar uma série de denúncias contra ela. O presidente da Casa, Wesley Teixeira (PSB), assumirá o cargo.
Na denúncia, o morador acusa Sabatine de desvio verbas da educação e da saúde para pagar a folha de pagamento do município, nepotismo, fraude em licitação e de residir fora do município. Segundo a Lei Orgânica de Jandira, caso a Câmara aceite uma denúncia contra o prefeito, este deve ser afastado por 90 dias.
A prefeita tinha assumido o cargo no lugar de Braz Paschoalin, assassinado na manhã de 10 de dezembro de 2010 com diversos tiros. No momento do crime, a vítima não utilizava um carro blindado, que naquele dia amanheceu com um pneu furado. Ele saiu de casa no veículo do motorista, também baleado quando ambos chegavam a uma emissora de rádio onde o prefeito participaria de um programa.
A suspeita da polícia era a de que o assassinato teria ocorrido porque Braz Paschoalin criticava algumas irregularidades dentro da prefeitura. Paralelamente às denúncias apresentadas hoje, Anabel Sabatine é investigada por participação na morte de Paschoalin.
Entre outros denunciados, o Ministério Público apontou como mentores do crime dois ex-secretários municipais, Sérgio Paraizo e Wanderley Lemes de Aquino, e Anderson Luiz Elias Muniz, o “Ganso”, ex-candidato a vereador, que foram presos. Os três conseguiram alvará de soltura, mas, segundo o delegado responsável, Aquino continua preso por outros processos.
Apesar do histórico de violência em Jandira, o novo prefeito afirma não temer assumir o cargo. O pai de Wesley, Durvalino Abílio Teixeira, foi morto em 1993, quando também era prefeito de Jandira. “Eu tive meu pai assassinado, mas como eu já estou na política há muito tempo, não tenho medo. Vou trabalhar”, afirmou ao UOL Notícias.

VEJA OUTROS CASOS DE PREFEITOS ASSASSINADOS NA ÚLTIMA DÉCADA
PREFEITO
CIDADE
MORTE
O CRIME
Antonio Luiz César de Castro (DEM)
Nova Canaã do Norte (MT)
5.ago.2011
Luizão, como era conhecido, foi morto com cinco tiros durante uma festa na cidade. A investigação corre em segredo de Justiça, e o prazo para a conclusão do inquérito foi prorrogado até 5 de outubro
Valdemir Antonio da Silva (PMDB)
Novo Santo Antônio (MT)
23.jul.2011
O prefeito, conhecido como Quatro Olho, foi morto com três tiros em sua casa. O inquérito policial ainda não foi concluído, mas cinco suspeitos já foram indiciados. Desses, dois estão presos temporariamente
Walderi Braz Paschoalin (PSDB)
Jandira (SP)
10.dez.2010
Paschoalin foi morto a tiros quando chegava a uma rádio. Entre outros denunciados o Ministério Público apontou como mentores do crime dois ex-secretários municipais, Sérgio Paraizo e Wanderley Lemes de Aquino, e Anderson Luiz Elias Muniz, o “Ganso”, ex-candidato a vereador, que foram presos. Os três conseguiram alvará de soltura, mas, segundo o delegado responsável, Aquino continua preso por outros processos
Divaldo Wiliam Rinco (PSDB)
Alto Paraíso de Goiás (GO)
2.set.2010
O prefeito foi morto a tiros. Ary da Abadia Garcez, pai de Ueberton Garcez, vereador de Alto Paraíso, foi denunciado pelo Ministério Público como assassino do prefeito e preso no dia 21 de janeiro de 2011, mas acabou solto em 17 de agosto
Gildeci Sampaio (PTB)
São Sebastião do Maranhão (MG)
out.2009
Sampaio estava em casa, em São Sebastião do Maranhão (MG), quando um homem invadiu o local e atirou. O prefeito morreu na hora. Quatro pessoas foram indiciadas e um inquérito complementar foi aberto
Gilberto Souza e Silva (DEM)
São Francisco do Glória (MG)
13.jan.2008
Silva foi morto a tiros em Piúma, cidade no litoral do Espírito Santo. O prefeito estava na cidade com a família, a passeio
Hilter Alves Costa (DEM)
Ribamar Fiquene (MA)
16.jul.2007
O prefeito foi morto a tiros após ser abordado por dois homens que estavam em uma moto
Gilberto Ramos de Andrade (PR)
Aurelino Leal (BA)
5.mai.2007
Andrade foi morto a tiros por dois homens em uma estrada. Ferido, o prefeito tentou fugir, mas foi seguido e espancado. Ele estava com o sogro, que saiu ileso. Em fevereiro de 2011, o ex-prefeito de Aurelino Leal, José Augusto Neto, foi condenado a 19 anos de prisão pelo assassinato
Inácio Carlos Moura (PP)
Coronel Murta (MG)
28.mar.2007
O prefeito foi assassinado com um tiro, em sua casa. O Ministério Público denunciou José Lucas Martins Lopes pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte), e uma audiência está marcada para o próximo dia 20 de setembro
Raimundo Bartolomeu Santos (PSC)
Presidente Vargas (MA)
7.mar.2007
Santos foi morto com três tiros em uma estrada. Ele viajava em companhia do secretário de Esportes de Presidente Vargas, Pedro Albuquerque, que também foi baleado, mas não morreu
Edvaldo dos Santos Ribeiro (PMDB)
Roteiro (AL)
11.set.2006
Em uma chacina, foram mortos a tiros o prefeito, o secretário de Turismo do município, José Cláudio Benedito, e um funcionário da prefeitura. O vereador Genival Barbosa da Silva, suspeito que chegou a ser preso e foi solto por falta de provas, foi assassinado a tiros em 20 de agosto de 2010
Manuel Custódio Ramos (PMDB)
Fênix (PR)
4.fev.2006
O prefeito foi morto com quatro tiros. O então vice-prefeito Aristóteles Dias dos Santos Filho (PMDB) foi preso após denúncia do Ministério Público Federal, mas, em 2009, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) revogou o pedido de prisão preventiva
Flávio Farias (antigo PFL)
Porto Estrela (MT)
10.out.2005
O prefeito foi morto a tiros na zona rural de Porto Estrela. Os quatro denunciados pelo Ministério Público foram absolvidos pela Justiça por falta de provas
João Henrique Leocádio Borges (PDT)
Buriti Bravo (MA)
10.mar.2005
Borges foi morto a tiros. Conforme foi noticiado na época, um mês antes da morte ele havia dito, em entrevista, que estava sofrendo perseguição política
Valdenor Cordeiro da Silva (PSDB)
Jussari (BA)
2.jan.2005
O prefeito foi encontrado morto em sua casa um dia após tomar posse no cargo pela terceira vez. As causas da morte não foram esclarecidas, mas há suspeitas de infarto e envenenamento
Celso Daniel (PT)
Santo André (SP)
18.jan.2002
Celso Daniel foi morto com sete tiros dois dias após ser sequestrado. Marcos Roberto Bispo dos Santos, o Marquinhos, o primeiro condenado do caso, foi preso em dezembro de 2010. Outros seis acusados de envolvimento deverão ser julgados a partir de 2012



Prefeita de Jandira reassume cargo um dia após ter sido afastada por vereadores


15/09/2011 - 17h05 | do UOL Notícias
Elaine Patricia Cruz
Da Agência Brasil
Em São Paulo
Um dia após ter sido afastada do cargo por uma decisão da Câmara Municipal, a prefeita de Jandira (SP), Anabel Sabatine, reassumiu a prefeitura no início da tarde de hoje (15). Anabel retomou suas atividades depois de liminar concedida pelo juiz Bruno Cortina Campopiano, da 1ª Vara Distrital de Jandira. A presidência da Câmara Municipal anunciou que vai recorrer da decisão.

A prefeita havia sido afastada temporariamente do cargo pelos vereadores na última terça-feira (13). Eles decidiram pelo afastamento de Anabel por um prazo de 90 dias, até que fossem concluídas as investigações sobre denúncias, levantadas por um morador da cidade, sobre prática de nepotismo, licitações fraudulentas e desvio de verbas da educação e da saúde.

Ontem (14) o presidente da Câmara Municipal de Jandira, o vereador Wesley Marques de Oliveira Teixeira (PSB), havia assumido a prefeitura depois da decisão.

Anabel estava à frente da prefeitura desde janeiro, depois da morte do prefeito Walderi Braz Paschoalin. Ele foi assassinado a tiros, no dia 10 de dezembro do ano passado, quando chegava a uma rádio para participar de um programa.


Violência política
A cidade de Jandira, já é conhecida nacionalmente como cidade violenta, já que ocorreram vários crimes, que são atribuídos a vida política. O primeiro caso foi do ex-prefeito Dorvalino Abilio Teixeira, morto a tiros em 1983, depois do comerciante Rubens Alves da Silva, o rubinho, que na época era apontado como futuro prefeito, os vereador Márcio de Almeida, que foi assassinado por homens armados  ao chegar de uma sessão da Câmara.
Resta saber se esse crime tem relação politica,e se a polícia irá desvendar mais esse crime bárbaro, e que assusta a população, que mais uma vez irá ver nas manchetes policiais, o nome de Jandira.  O crime que hoje vitimou o ex-vereador precisa ser esclarecido e os autores punidos já que a cidade não pode e não deve ser conhecida como a cidade da impunidade e dá violência política.

Juíz de Jandira apura caso de morte do prefeito


SÃO PAULO – O juiz Bruno Cortina Campopiano, da 1ª Vara Distrital de Jandira, está desde a manhã desta quinta-feira (15) ouvindo 61 pessoas, entre réus e testemunhas de defesa e de acusação, no processo que apura a morte do prefeito Walderi Braz Paschoalin. Depois da fase de instrução do processo, ele decidirá se leva a júri os oito acusados de terem participado do assassinato do prefeito de Jandira, morto a tiros em dezembro do ano passado.

Segundo o Tribunal de Justiça, três réus estão soltos, um está foragido e quatro estão presos – entre eles o ex-secretário de Habitação Wanderley Lemes de Aquino, acusado de ser o mandante do crime. A audiência continua na próxima sexta-feira (16), mas, devido ao grande número de pessoas a serem ouvidas, uma nova audiência deve ocorrer em outubro para dar continuidade à fase de instrução.

Em fevereiro, o Ministério Público ofereceu denúncia à Justiça contra sete pessoas que foram acusadas pela morte de Braz Paschoalin. Na denúncia, que foi oferecida pelo promotor de Justiça Neudival Mascarenhas Filho, o ex-prefeito foi morto porque havia demitido o então secretário de Governo, Sérgio Paraizo, e por desentendimentos com Aquino. A denúncia também apontou que havia vários esquemas de corrupção na prefeitura, envolvendo desvios de dinheiro público, licitações fraudulentas, superfaturamento e nomeação de funcionários fantasmas. A morte do prefeito, segundo a denúncia, foi tramada pelos réus para que assumissem o controle do esquema.

Um inquérito policial também foi aberto este ano para investigar se houve participação da atual prefeita, Anabel Sabatine, no assassinato do ex-prefeito. Segundo informações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), o inquérito policial ainda está em andamento.

Anabel havia sido afastada da prefeitura na última terça-feira (13), por decisão da Câmara Municipal, mas voltou ao cargo hoje, após liminar concedida pelo juiz Bruno Campopiano. Os vereadores decidiram pelo afastamento devido a denúncias de fraude e desvio de verbas na gestão da prefeita.