AQUELE QUE VIVE DE SONHOS

AQUELE QUE VIVE DE SONHOS, É FELIZ E HONRADO!
Nossa cidade merece sorrir!
Através deste blog você fica conhecendo minhas idéias, meu trabalho e interage comigo, contribuindo para o meu crescimento pessoal e profissional! Sinta-se à vontade para comentar!Grato!
‎"Quem não pode atacar o argumento ataca o argumentador."

Este Blog dedica-se à política na esfera municipal em qualquer parte do país. Logo, casos de corrupção em nível estadual e federal estão disponíveis apenas no meu Facebook. Raramente trato deles aqui.
Me adicione no Facebook: Aldeir Félix Honorato
Siga-me no Twitter: @AldeirFHonorato

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Londrina: vereador teria recebido R$ 157,5 mil em propina

Esse tipo de coisa não acontece em Paraíba do Sul

17/10/2011 -- 19h19
Jacks Dias (PT) é acusado pelo Gaeco de corrupção passiva quando ocupava o cargo de secretário de Gestão Pública no governo Nedson Micheleti

O Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) denunciou criminalmente o vereador Jacks Dias (PT) por suposto recebimento de propina daempresa de vigilância Centronic. O crime teria sido cometido entre os anos de 2005 e 2006, quando Dias era secretário de Gestão Pública na gestão petista de Nedson Micheleti. 
A ação, protocolada na 3ª Vara Criminal de Londrina na última semana, indica que o vereador teria recebido R$ 157,5 mil de propina. Foram duas oportunidades: R$ 52,5 na primeira vez e R$ 105 mil na segunda. 
Junto com o petista foram denunciados o representante da Centronic em Londrina, Paulo Iora, e o proprietário da empresa, Nilson de Godoes. O parlamentar foi denunciado por corrupção passiva. Os dois integrantes da empresa de vigilância por corrupção ativa. 
Procurado, Jacks Dias afirmou que não iria comentar o assunto. "Tudo o que eu tinha para falar sobre isso, eu já falei. Procurem o meu advogado", limitou-se a dizer. 
Já o advogado dele, João dos Santos Gomes Filho, definiu a denúncia, em entrevista ao Bonde, como uma "aventura jurídica". "Este é o caso em que um funcionário afirma que viu o patrão conversando sobre propina com o meu cliente. No entanto, o patrão não confirmou o pagamento de propina ao Ministério Público. Há fantasia demais, mas nenhuma prova", argumentou. 
Apesar disso, o advogado disse que não ficou surpreso com a atitude do Gaeco. "Estamos em um ano que precede as eleições municipais. Não sei se há motivação política, mas tudo isso é muito estranho." 
Ele afirmou que deve, primeiramente, conhecer a denúncia, para só depois se manifestar legalmente.

Nenhum comentário: