AQUELE QUE VIVE DE SONHOS

AQUELE QUE VIVE DE SONHOS, É FELIZ E HONRADO!
Nossa cidade merece sorrir!
Através deste blog você fica conhecendo minhas idéias, meu trabalho e interage comigo, contribuindo para o meu crescimento pessoal e profissional! Sinta-se à vontade para comentar!Grato!
‎"Quem não pode atacar o argumento ataca o argumentador."

Este Blog dedica-se à política na esfera municipal em qualquer parte do país. Logo, casos de corrupção em nível estadual e federal estão disponíveis apenas no meu Facebook. Raramente trato deles aqui.
Me adicione no Facebook: Aldeir Félix Honorato
Siga-me no Twitter: @AldeirFHonorato

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

CASO DE CORRUPÇÃO NA PREFEITURA DE MARINGÁ: ACOMPANHE O CASO!

Prefeito de Maringá afasta secretário e três servidores municipais
Murilo Gatt

O prefeito Silvio Barros afastou nesta quarta-feira (19) o secretário municipal de Serviços Urbanos de Ma-ringá, Vagner Mússio, bem como três servidores municipais, por conta de denúncia apresentada à justiça pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que investiga irregularidades nos serviços de corte e poda de árvores no município de Maringá na operação Quebra Galho.
O procurador geral do município, Luiz Carlos Manzato, foi até o fórum na tarde de hoje para receber a intimação relativa ao processo, que ainda não havia sido entregue. De posse do documento, o prefeito decidiu pelo afastamento de Mussio e dos servidores. Entretanto, um dos funcionários públicos já havia feito pedido de exoneração das funções.



O secretário Municipal dos Serviços Públicos, Vagner Mussio, foi afastado do cargo. Por decisão judicial, em atendimento a denúncia protocolada pelo Gaeco, ele e mais três funcionários foram afastados preventivamente do cargo.
O Gaeco pediu a prisão dos quatro acusados, mas o juiz não concedeu. No entanto, o juiz relatou na sentença que se surgirem fatos novos a medida pode ser tomada.
O secretário é acusado de prevaricação, condescendência criminosa e peculato. Segundo a denúncia, além de não tomar providências contra funcionários que teriam praticado irregularidades na prestação dos serviços de poda e corte de árvores, Mussio favoreceu duas empresas, encaminhando maquinários da prefeitura para fazer a terraplanagem de um terreno particular.
Além do secretário e dos funcionários públicos, dois empresários também foram denunciados pelo Gaeco, um deles contratado por meio de licitação para prestar serviços de poda e corte de árvores na cidade.

Mussio
O secretário Vagner Mussio afirmou que o MP agiu de forma “leviana e irresponsável” e que está tranquilo para responder a todas as acusações. Ele afirma que não praticou nenhum dos crimes dos quais foi acusado, diz que pediu providências contra os funcionários públicos que teriam cometido irregularidades e que não favoreceu nenhuma empresa. O secretário também criticou o fato de ter sido ouvido somente como testemunha e que agora ter sido denunciado. “Estou preparado para me defender porque não devo”.
·                     por: Murilo Gatti
·                     Postado em: 18 de outubro de 2011 às 15:18


20/10/2011 às 02:00    -    Atualizado em 20/10/2011 às 02:00
Secretário denunciado é afastado
·                     Murilo Gatti

O prefeito de Maringá, Silvio Barros (PP), assinou no final da tarde de ontem portaria que determina o afastamento do secretário municipal dos Serviços Públicos, Vagner Mussio.
A medida atende à decisão do juiz da 2ª Vara Criminal de Maringá, Devanir Manchini, que pediu o afastamento do secretário e de outros três funcionários do município por conta de irregularidades denunciadas pelo Ministério Público nos serviços de poda e corte de árvores.
O prefeito também assinou as portarias de afastamento dos servidores José Alberto Mendonça, o "Beto", e Francisco Danir Polidoro , o "Gaúcho".
Claudemir Celestino, ex-gerente de Arborização e que atualmente ocupava o cargo de gerente de Prevenção de Riscos, se antecipou à decisão do prefeito e pediu a exoneração do cargo na manhã de ontem.
Para agilizar o andamento do processo, o procurador-geral da Prefeitura de Maringá, Luiz Carlos Manzato, esteve no Fórum no final da tarde de ontem para receber a citação do processo em nome do município.
"Como não apareceu ninguém na prefeitura para fazer a intimação, fui até o Fórum para me dar por intimado. Assim, o município pode tomar as providências e atender à decisão judicial", disse.
Manzato ressaltou que a prefeitura tem interesse na apuração dos fatos e a demora na citação do processo poderia atrapalhar. "A administração precisa andar. Temos que fazer a prefeitura funcionar", apontou.
O procurador também informou que pediu ao juiz uma cópia do processo para que a prefeitura possa abrir os procedimentos administrativos contra os servidores de carreira envolvidos nas denúncias.
"Conhecemos uma parte da denúncia, mas queremos ver todos os documentos. Precisamos saber se há mais servidores envolvidos, que possam não ter cometido crime, mas que podem ter cometido uma falta grave. Eles estarão sujeitos a penalidades administrativas", disse.
Até o final da tarde de ontem, o prefeito Silvio Barros ainda não tinha definido o nome de quem responderia pela Secretaria dos Serviços Públicos.
Pressa
"A administração (municipal) precisa andar. Temos que fazer a prefeitura funcionar"
Luiz Carlos Manzato
Procurador jurídico da Prefeitura de Maringá

Ouça as gravações do Gaeco envolvendo o secretário Vagner Mussio em irregularidades no corte de árvores em Maringá

19/10/2011 às 16:09    -    Atualizado em 19/10/2011 às 16:26
Murilo Gatti

A reportagem de O Diário teve acesso a alguns áudios apresentados como prova ao Poder Judiciário, como conversas de funcionários favorecendo pessoas na execução de serviços e falas do secretário de Serviços Urbanos, Vagner Mússio, com funcionários, sobre serviços realizados pela Secretaria. 
O juiz da 2ª Vara Criminal de Maringá, Devanir Manchini, determinou o afastamento de Mussio e de outros três servidores da Prefeitura de Maringáque foram denunciados pelo Ministério Público pelos crimes de corrupção ativa e passiva, peculato, prevaricação e condescendência criminosa.
A denúncia faz parte da Operação Quebra Galho, aberta pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) para investigar irregularidades nos serviços de corte e poda de árvores no município de Maringá. 
Entre as provas levantadas pelo Gaeco que levaram a denúncia que resultou no afastamento do secretário, estão interceptações telefônicas feitas com autorização judicial.
Ouça algumas das conversas gravadas pelo Gaeco:
Outro lado
Ouça a entrevista do secretário Vagner Mússio à Rádio Cultura AM 1390 kHz:

Aúdios disponíveis no link abaixo:

Nenhum comentário: